Categoria: Poema

Por razão e por direito.

girl

Não quero nada o que a mim não pertença por razões e por direito. 

Quero ter saúde e quero respeito.

Porque só merece minha consideração

Aquele que respeita essa minha condição.

Quero aconchego e cumplicidade

Porque só é digno de minha solidariedade

Aquele que que se enquadra nesse tipo de irmandade.

Quero vida e quero  música

Porque só tem direito ao transpirar da harmonia

Aquele que não erra a melodia das notas convivenciais…

Quero poesia e quero brisa

Porque só tem rima e beleza 10500450_901521629879038_1042623375945858909_n

Aquele que nas entrelinhas do poema encontra as metáforas escondidas; Quero que jorre de minhas mãos aquilo que posso dar; Sem que seja preciso desfalcar a minha condição de humana. Não quero nada do que não seja meu por razões e por direito… (texto de Marluci Brasil) 

 Fonte: Por razão e por direito.

Contos Zen: De Quem é o presente? Oportuna reflexão, ouça e medite!

Desapontados pelo fato de que o mestre aceitar tantos insultos e provocações, os alunos perguntaram: – Como o senhor pode suportar tanta indignidade? Por que não usou sua espada, mesmo sabendo que podia perder a luta, ao invés de mostrar-se covarde diante de todos nós?
– Se alguém chega até você com um presente, e você não o aceita, a quem pertence o presente?
– A quem tentou entregá-lo – respondeu um dos discípulos.
– O mesmo vale para a inveja, a raiva, e os insultos – disse o mestre – Quando não são aceitos, continuam pertencendo a quem os carregava consigo.

A sua paz interior, depende exclusivamente de você. As pessoas não podem lhe tirar a calma, só se você permitir…

Narração João Neanderthal

SPISRIT 0001.png 0002©2015 Michael Brugger – A Vida na Arte do Ser

Anúncios